sábado, 10 de outubro de 2015

Fantasma

Já disse milhares de vezes que isso é loucura, todos já sabem, inclusive eu, mas não e racional.
Qual o sentido em amar alguém que não te ama? Querer alguém que não te quer? Correr atrás de alguém que está correndo de você?
Todo dia acordo e digo a mim mesma que vou parar, vou seguir em frente, que não vou mais pensar nele, mas todo dia quando acordo, saio na rua, meu coração fica procurando a cada esquina seu olhar no rosto das pessoas com quem cruzo.
Apesar de estar bem, sinto que estaria melhor com você ao meu lado.
De todos esse sem dúvida foi o amor mais platônico que tive e que agora é platônico fantasma, é como amar alguém que eu nem de fato sei se existe,
Quero poder me soltar desse sentimento que nem sei o que é, se é saudade, ou amor, solidão ou perseguição. Quero poder me apaixonar de novo. Porém mesmo que eu procure outro amor, ele é quem sempre será o parâmetro, ele é quem será o modelo, o minimo que eu espero. Minimo bem alto, minimo bem gato, minimo bem gostoso, minimo bem fofo, minimo bem ele.
Tenho me prendido a essas lembranças e sentimento, pois foi a única coisa que sobrou de ele e de mim mesma depois que ele invadiu a minha vida, é a única coisa que sobrou da boba apaixonada.
Os sentimentos já não são iguais a antes, menos intensos, mas ainda vivos. 
Ainda tenho meus valores de amor:
1. Penso que se é de verdade, não importo o que aconteça, quem ama NUNCA desiste, por mais que ame outra pessoa, a gente nunca desiste, nem depois de 30 anos, se reaparecer e pode reaparecer, fodeu.
 2. Se faz sentir, faz sentido.
3. Se é forte, é o bastante para guiar.
4. É o que me faz viver

Nenhum comentário:

Postar um comentário